Diretorias compartilham planejamento para 2020, alinhado às novas diretrizes

Pela primeira vez, todas as diretorias da margem brasileira de Itaipu compartilham entre si seu planejamento anual, uma das condições básicas para a reestruturação interna da empresa, que passa automaticamente pela sistematização e integração de processos e, em especial, pelo alinhamento de gestão, começando pela tomada de decisões da alta diretoria.

Todo o material compilado de cada diretoria para o ano todo de 2020 foi apresentado nesta semana, na Sala de Apoio à Decisão Estratégica (Sade), sob coordenação do chefe da Assessoria de Planejamento Empresarial (PE.GB), Rogério Böhm.

Para o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, o comprometimento de todos os diretores e assessorias de Planejamento e Coordenação (PCs) demonstrou total sinergia às diretrizes de sua gestão, que tem como premissas básicas alinhamento e foco. “Sem planejamento não há como alcançar os objetivos estratégicos. E Itaipu precisa ficar na vanguarda do que se espera de uma empresa pública socialmente responsável, para atingir suas metas com sucesso”, afirmou. “Agradeço a dedicação de cada um nesse trabalho”.

União

Segundo Rogério Böhm, nas apresentações “percebeu-se total alinhamento entre as diretorias, sobretudo nas necessidades de revisão estratégica, aperfeiçoamento de processos, revisão de normativos, uso intensivo de indicadores, acompanhamento cerrado da execução orçamentária, entre tantas outras, todas diretamente vinculadas às diretrizes estabelecidas pelo diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna“.

O trabalho de cada diretoria segue uma série de diretrizes mapeadas pela própria PE.GB, atendendo a um pedido do diretor-geral brasileiro. A intenção básica é ter pleno conhecimento de onde o dinheiro está sendo gasto; evitar o sombreamento de funções no corpo empresarial e dar prioridade aos projetos de maior relevância. Sem interferência de uma área sobre a outra, a intenção é detectar sinergia e viabilizar aquilo que é mais importante para a empresa e para o consumidor que paga pela energia que Itaipu produz.

Deverão ocorrer três encontros anuais semelhantes a este primeiro, para avaliar o que foi alcançado em relação ao proposto pelas diretorias e, se for o caso, adotar novas providências e ações.

Seguem algumas das principais ações de gestão previstas no Planejamento 2020 pelas diretorias da margem brasileira:

Diretoria Geral Brasileira

  • Revisão da gestão estratégica e fortalecimento da gestão orientada por processos;
  • Fortalecimento da gestão de imagem e relacionamento;
  • Otimização dos sistemas informatizados;
  • Consolidação das políticas e sistemas de compliance, entre outros;
  • Apoio e estímulo às Fundações Fibra, FPTI e FSI;

Diretoria Técnica

  • Gestão e execução do projeto estratégico de atualização tecnológica;
  • Gestão dos projetos em execução e planejamento de novas demandas;
  • Contribuição nos temas relacionados a revisão do Anexo C;
  • Gestão e acompanhamento do macroprocesso Produção de Energia;

Diretoria Financeira

  • Aprimoramento da gestão de finanças;
  • Revisão e atualização de normas e procedimentos;
  • Aprimoramento da logística de suprimentos;
  • Apoio aos projetos estratégicos da empresa, bem como às Fundações;

Diretoria de Coordenação

  • Acompanhamento da execução dos projetos estruturantes;
  • Reestruturação da Diretoria de Coordenação;
  • Melhoria da Metodologia de Priorização de Projetos e Atividades e no Processo de Gestão do Portfólio de Projetos;
  • Aperfeiçoamento dos Processos Prioritários e revisão de indicadores;

Diretoria Jurídica

  • Consolidação da estrutura jurídica binacional e revisão de normativos;
  • Identificação e mitigação de riscos jurídicos;
  • Suporte jurídico aos projetos estratégicos e estruturantes;
  • Suporte na simplificação dos processos de criação de convênios e elaboração de contratos;

Diretoria Administrativa

  • Aperfeiçoamento de processos e indicadores e consolidação de informações para apoio à tomada de decisão;
  • Melhoria na performance das competências gerenciais e plano de sucessão;
  • Consolidação da infraestrutura de segurança da empresa;
  • Adequação das edificações corporativas bem como execução da alienação de imóveis;

Assessoria.