Feijão é banido do tênis por manipulação de resultados e multado em mais de R$ 800 mil

A história de João Souza no tênis brasileiro teve um triste capítulo final. Nesta sexta-feira, Feijão, como sempre foi conhecido do público, foi punido pela Tennis Integrity Union (TIU), comitê que investiga casos de corrupção no esporte, e está banido das competições profissionais permanentemente. Além disso, foi condenado também a pagar uma multa no valor de US$ 200 mil (pouco mais de R$ 800 mil na cotação atual).

O caso se arrastou por longos nove meses. No dia 6 de abril de 2019, Feijão tinha sido suspenso preventivamente pela TIU, suspeito de manipular resultados de seus jogos de simples e duplas no Challenger de Morelos, no México. O tenista chegou a reverter a decisão na mesma semana, mas logo depois a entidade conseguiu emitir mais uma punição provisória com base em novas evidências do caso.

Assim, João Souza fica impedido de competir ou mesmo participar de qualquer competição profissional de tênis, seja como atleta ou mesmo como treinador ou contratado do torneio para outras funções. A punição é semelhante à do também brasileiro Diego Matos, jogador que chegou a ocupar o posto de 241 do mundo nas duplas, e que foi banido do tênis além de ter que pagar multa de US$ 125 mil por participar de um esquema de vendas de múltiplos resultados.

Num dos momentos mais altos de sua carreira, Feijão fez uma partida de 6h42 contra o argentino Leonardo Mayer pela Copa Davis, torneio de tênis entre nações. Na ocasião, ele ocupava o posto de número 1 do Brasil e entrou no livro dos recordes por esse confronto, tendo sido o mais longo da história da competição e o segundo maior em todos os tempos no tênis, envolvendo qualquer torneio.

Entenda o caso

No dia 19 de fevereiro de 2019, Feijão foi derrotado em sua estreia na chave de simples no Challenger de Morelos, no México, contra o equatoriano Roberto Quiroz, 179º do ranking, por 2 sets a 0 (6/4 e 6/0), em apenas 51 minutos de jogo – o segundo set foi disputado em 17 minutos. A partida pode ser assistida aqui.

No mesmo torneio, o paulista atuou na chave de duplas ao lado de João Menezes (campeão Pan-Americano pelo Brasil também em 2019) e foi superado pelos colombianos Santiago Giraldo e Daniel Elahl Galan, parciais de 7/6(1) e 6/3. Segundo documento de acusação da TIU, de abril do ano passado, Feijão teria dito ao parceiro que não se esforçaria na partida. Durante o jogo, chegou a ser advertido pela juíza de cadeira por atitude antidesportiva.

A TIU esclareceu também que João Menezes colaborou com as investigações e entregou seu telefone celular para perícia logo que foi abordado pelos agentes, nas semanas seguintes ao torneio de Morelos. No entanto, o tenista mineiro foi isentado de qualquer participação em esquema de combinação de resultados e jamais recebeu qualquer tipo de punição.

Desde então, Feijão ficou fora dos holofotes e evitou conceder entrevistas, à espera do julgamento de seu caso. Nos últimos meses, no entanto, o tenista voltou a publicar vídeos e fotos de treinamentos em academia de tênis e passou a vislumbrar uma carreira como treinador, segundo declaração concedida ao jornal “Mogi News”, de Mogi das Cruzes, sua cidade-natal, na última semana.

Nas últimas semanas, Feijão também passou a frequentar o noticiário de sites de entretenimento por estar iniciando um relacionamento com a ex-dançarina do grupo “É o Tchan”, Sheila Mello.

Globo Esporte

http://www.correiodolago.com.br/noticia/feijao-e-banido-do-tenis-por-manipulacao-de-resultados-e-multado-em-mais-de-r-800-mil/106762/