Terça-feira (12) é o Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita

O Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita que tem por objetivo informar a população sobre os males da doença.Em todo o Brasil, acontece a campanha Coração na Batida Certa, na qual são realizadas uma série de atividades educativas que abordam prevenção, diagnóstico e tratamento.

Para falar sobre a doença, Luciano Barroso (DF) e Anchieta Filho (SP) conversaram com a arritmologista e eletrofisiologista do ICTCor – Instituto do Coração de Taguatinga, Carla Septimio.

Segundo a médica a arritmia é como um descompasso tanto acelerado quanto batendo abaixo de 60. “Quando a frequência cardíaca está muito baixa nós podemos ter bloqueios que fazem com que o coração do paciente bata tão devagar ao ponto de precisar de marcapasso. Ou seja, o marcapasso artificial tem que substituir o marcapasso natural do paciente que está falhando. Quando a frequência cardíaca está muito acelerada a gente pode ter tanto arritmia benigna quanto maligna. As malignas que podem levar a morte súbita”, observa a médica.

Na entrevista, Luciano conta sua experiência com morte súbita. De acordo com ela, “algumas arritmias não são possíveis de prever com o eletrocardiograma convencional. Às vezes nem outros exames. E nós precisamos ter vários exames. Então nesse caso é necessário a prevenção secundária. O que nós queremos fazer é a prevenção primária e identificar todos os riscos”, esclarece Carla.

A médica também ressalta a necessidade do atendimento médico pois a chance de morte existe. Entre os fatores de risco estão: o tabagismo, pressão alta, má alimentação, obesidade, falta de atividade física, ingestão exagerada de cafeína, entre outros.

http://radios.ebc.com.br/tarde-nacional/2019/11/terca-feira-12-e-o-dia-nacional-de-prevencao-das-arritmias-cardiacas-e-morte