Vaticano reconhece novo milagre e Irmã Dulce vai virar santa

3

O papa Francisco reconheceu nesta terça-feira (14) o segundo milagre atribuído à beata Irmã Dulce, o que permite que a freira brasileira seja proclamada santa. A solene celebração de canonizações não está marcada.

Nascida em Salvador, em 26 de maio de 1914, com o nome de batismo de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, irmã Dulce ficou conhecida por obras de caridade e assistência aos necessitados.

Apelidada de “O Anjo bom da Bahia”, ela morreu em 22 de maio de 1992 e foi beatificada em 22 de maio de 2011.

O processo de canonização de Irmã Dulce começou em janeiro de 2000. No ano seguinte, foi reconhecido o primeiro milagre atribuído à brasileira. De acordo com o site “Vatican News”, o segundo milagre foi reconhecido por meio de um decreto. Com isso, ela será a primeira mulher nascida no Brasil a ser canonizada. A cerimônia, no entanto, ainda não tem data para acontecer. O papa Francisco recebeu em audiência, na segunda-feira (13), o prefeito do Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu, o qual autorizou o Dicastério vaticano a promulgar o decreto.

Entre outros decretos promulgados hoje, também está um que reconhece as virtudes heroicas do Servo de Deus Salvador Pinzetta, Frade Menor Capuchinho, nascido em Casca, no Rio Grande do Sul, em 1911.

O título de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres foi concedido depois que foi reconhecido como milagre a salvação, pela intercessão de Irmã Dulce, da sergipana Cláudia Cristiane Santos. Em janeiro de 2001, ela sofreu durante 18 horas com sangramentos após o parto do seu filho, Gabriel, na Casa de Saúde e Maternidade São José, na cidade de Itabaiana. Após o padre José Almí de Menezes rezar por Irmã Dulce, Cláudia se viu curada instantaneamente.

Vaticano News